Os Laboratórios Vitória estão dotados de instalações fabris com tecnologias de vanguarda, especializadas no fabrico de formas farmacêuticas sólidas, líquidas e semi-sólidas, tais como:

  1. Comprimidos e cápsulas 
  2. Soluções orais repartidas em 2 tipos de acondicionamento: frasco e ampola 
  3. Soluções injetáveis de pequeno volume 
  4. Supositórios e óvulos 
  5. Pomadas, geles e cremes

Nos Laboratórios Vitória asseguramos o escrupuloso cumprimento das diretivas comunitárias e exigências atuais, no design e conceção, assim como na racionalização de layouts e fluxos de circulação.

Os nossos equipamentos são modernos e em constante atualização, baseados em critérios fundamentados na produtividade e nos sistemas de segurança farmacêutica e auto-controlo, que permitem assegurar eficazmente os padrões de qualidade dos lotes de medicamentos que produzimos.

Os nossos Recursos Humanos são a chave do sucesso para a boa execução das diferentes áreas de atuação dos Laboratórios Vitória.

Para o efeito, apostamos no capital humano através de planos de formação contínua, não apenas com o objetivo do cumprimento legal e exercício da respetiva função, mas também para a promoção da carreira dos nossos colaboradores, numa ótica de estímulo, motivação e mobilidade. Desta feita destacamos algumas formações:

  1. Formação em base anual de Boas Práticas de Fabrico
  2. Formação em base anual de Higiene e Segurança 
  3. Formação em base anual de Produtividade

Apostamos na qualidade nos nossos materiais recorrendo a um escrupuloso nível de exigência que impomos aos nossos fabricantes e fornecedores, através de sistemas de monitorização, qualificação, auditorias, bem como contratualização e gestão de necessidades de produção que envolvem centenas de referências de matérias-primas, materiais de embalagem, fórmulas e apresentações.

Encaramos o contexto industrial com otimismo e competitividade, pelo que dispomos de um conjunto de serviços e competências no âmbito de qualificações, validações, entre outros que além da compliance regulamentar e de AIM (Autorização de Introdução no Mercado), permitem desenvolver uma gestão de risco que preserva o portfólio dos nossos medicamentos, acrescentando valor à cadeia, o que constitui um fator de mais-valia na nossa produção para terceiros.